Empreendedorismo em família

Revista Estado Economia

11/06/2015

Crescimento apoiado na capacitação

O suinocultor Fernando Martins e a produtora de doces, especialmente goiabada, Christiana dos Mares Guia Martins, formam um típico casal empreendedor. Juntos, somam um grande volume de apostilas - e conhecimento - adquiridas nos programas de capacitação do Sebrae - do Brasil Empreendedor ao Empretec.

De família de fazendeiros. Fernando Martins chegou a participar da administração de uma usina de açúcar, além de ser estagiário do Sebrae no tempo em que a instituição se escrevia com C (Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Estado de Minas Gerais). A empresa familiar foi profissionalizada e ele partiu para um projeto próprio.

Montou uma granja em 1995 e passou a residir, com a esposa, numa fazenda, onde existia um imenso goiabal. A goiabada da família sempre foi tradicional na região de Ponte Nova e nunca perdeu o status, pois a receita vem sendo passada de sogra para nora, mantendo o sabor.

Fernando Martins logo implantou um programa de qualidade na granja, ao mesmo tempo em que incentivava a esposa a produzir goiabada e ampliar mercado. A granja possuía, inicialmente, 80 matrizes de suínos e hoje já são 450, gerando cerca de 90 mil quilos/mês de carne de porco. Sua clientela é formada por frigoríficos e pequenos açougues da região da Zona da Mata.

Todo cuidado nessa atividade, segundo Fernando Martins, é pouco, Suínos são sensíveis e exigentes, provocando alto índice de perdas e prejuízos, "mas isso é contornado com a tecnologia empregada na criação". Sua administração se dá a partir do ponto de vista de uma empresa rural. " Invisto em capacitação da minha equipe, entendendo ainda que o cliente é a razão de a empresa existir. Por isso, ele deve ser tratado da melhor maneira".

Além de tratar o cliente de forma especial, Christiana passou a escutá-lo com a máxima atenção, satisfazendo todos os seus gostos. A goiabada passou a ter menos açúcar para atender a uma exigência do mercado, assim como o formato, peso das embalagens e a consistência do doce foram alterados para deixar a clientela 100% satisfeita. Todo o processo é artesanal

Doces da Christy - goiabada, como carro-chefe e, em menor quantidade, outros doces no geral - se transformou em uma microempresa com projetos de gestão adequados inclusive ao Programa de Apoio Tecnológico à Micro e Pequena Empresa (Patme). São 60 pontos de venda espalhados entre Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Porto Alegre. Os clientes da região de Ponte Nova, ela faz questão de atender na porta, tendo a possibilidade de fazer pesquisa de mercado.

Há oito anos na atividade, Christiana transferiu, em 2000, a atiga fábrica de fundo de fazenda para um sítio com 2 mil pés de goiabada, passando a produzir 2 mil quilos/mês de goiabada. Possui oito funcionários e recebe assistência especializada para poda dos pés de goiaba. Pelo processo de irrigação e muitos outros cuidados, os frutos são da melhor qualidade e podem ser colhidos em qualquer época do ano.

A qualificação garante à empresária maior segurança para enfrentar esta nova fase dos negócios. Ela tem consciência de que precisa faturar mais, aumentando as vendas para cobrir o custo de produção, porém com perspectivas também maiores de conquista de mercado.