Doces da Christy eleita uma das 10 melhores goiabadas do Brasil

Caderno Paladar - Estadão

14/06/2011
Eleita umas das 10 melhores

''Não é marmelada. O Paladar dedica sua edição de número 300 a um dos doces brasileiros mais antigos e populares , que nasceu para aplacar o desejo dos portugueses de comer doces de marmelo. Lisas, cremosas, de corte, em vidro, lata ou caixeta, fizemos o sacrifício de provar 25 das melhores goiabadas encontradas no país e selecionar 10. Sozinhas e acompanhadas.

Goiabada pode ser lisinha, cremosa ou pedaçuda. Na lata, no vidro, na caixeta de madeira, embrulhada em folha de bananeira ou no celofane Para comer äs colheradas ou cortada em fatias. Só não pode ter açúcar demais, nem água de menos. Incontestável mesmo é que goiabada boa só se consegue usando goiaba boa, madura e perfumada.

As de polpa vermelha, conhecidas como paluma é século 21, estão entre as melhores para fabricação do doce, o Brasil produz quase 300 mil toneladas por ano. ''São frutos grandes com casca lisas e amarela. Quando maduros, têm polpa vermelha intensa, firme e espessa, com acidez equilibrada e poucas sementes'', diz o pesquisador José Emílio Bettiol Neto do Instituto Agronômico de Campinas (IAC).

Para virar doce a fruta tem de estar madura, mas ainda firme para aguentar o longo tempo no fogo, apurando lentamente. Não adianta esperar que a fruta melhore no doce. O resto e técnica.

Goiabadeiras de todo Brasil sabem disso e cada uma defende a própria receita, sempre apurada em boas histórias. As de Ponte Nova, Minas Gerais estão entre as mais conhecidas. Lá reinam as de colher, mais pastosas. Em São Bartolomeu, distrito de Ouro Preto, também em Minas , predomina a goiabada de cortar - Celebrada com festa, ganhou até selo de Patrimônio Imaterial'' .